“A ética significa o conjunto de valores e da moral que conduzem um indivíduo a tomar decisões, no que se refere principalmente às relações com o mundo”. (SBPC/ML).

Uma prática ética é componente inseparável do trabalho do profissional e lhe confere engrandecimento perante toda a sociedade. Debater a ética requer estudos filosóficos aprofundados, discussões e compreensões sobre a sociedade, o tempo, os valores e o que representa cada cidadão e seu papel social. Porém, cabe a todas as pessoas a atuação responsável e profissional, de uma prática ética e comprometida com um elevado respeito ao próximo, ao outro, a nós mesmos e ao ambiente.

O profissional da saúde por lidar diretamente com os elementos auxiliares para a preservação da vida e o bem-estar do paciente, precisa desempenhar sua atividade com qualidade, competência e grande comprometimento. As formulações éticas para o profissional de laboratório clínico postulam que a obrigação primeira desses profissionais é com o paciente e com a sociedade.

Por lidar com o conhecimento científico e a tecnologia, o profissional de laboratório clínico, não pode descuidar do emprego da melhor técnica e conhecimento para a consecução dos seus objetivos. Mas, nunca deixar que a técnica possa fazer suprimir as ações essenciais para trazer qualidade, acolhimento, compreensão, respeito e confiabilidade ao paciente, que muitas vezes vive momentos de sofrimento e angústia, ou no mínimo de ansiedade pelo ambiente e pela situação.

Atuar de forma ética é estabelecer critérios, processos e atitudes que representem o mais elevado sentido daquilo que nos propomos fazer, do melhor que podemos fazer, do melhor que esperam que façamos e pela maior satisfação final com o nosso trabalho. (Dr.Silvio Basques)

Cuidados com o paciente

A atenção ao paciente é a primeira obrigação de todos os que atuam no laboratório clínico. Muitas vezes o contato do paciente, com o laboratório, será somente através do atendente e do coletor. Por isso, faz-se necessário que os funcionários dos setores respectivos recebam também treinamento de cunho ético, respeitoso e de engajamento nos princípios filosóficos de atendimento à pessoa. O respeito à dignidade e a privacidade são elementos fundamentais e se traduz em cortesia, fraternidade e atenção.

Informações – A privacidade e o bem estar do paciente devem sempre estar em primeiro lugar. Ser discreto, não comentar resultados de exames com colegas de trabalho, com o paciente ou com os próprios familiares demonstra postura profissional, responsabilidade e discrição.  Outro ponto importante é não revelar dados internos do laboratório para outros que não as pessoas diretamente relacionadas ao trabalho.

Laudos – O resultado de exame é o principal serviço oferecido pelos laboratórios aos seus clientes. A entrega dos laudos com pontualidade, qualidade e eficiência garantem a satisfação do seu cliente, além de um diagnóstico e um tratamento correto e oportuno.

Controle Interno da Qualidade – Este é um dos pilares de apoio para o melhor emprego da técnica e o modo de assegurar o desempenho dos sistemas de análise. A ética obriga o profissional a cuidar da técnica, para que o paciente seja beneficiado da melhor forma com a veracidade da sua realidade biológica. Assim o profissional de laboratório estará verdadeiramente contribuindo para a excelência do diagnóstico médico e o benefício do paciente. Dedicar-se a realizar o controle da qualidade dos exames é um dos grandes compromissos éticos no nosso tempo, já que é por meio de um controle eficaz que o laboratório clínico poderá fornecer com qualidade o seu produto, o resultado do exame laboratorial.  

por Dr. Silvio Basques

Veja outros posts desta série.

6 razões para cuidar do Controle Interno da Qualidade: 1- Profissionalismo
6 razões para cuidar do Controle Interno da Qualidade: 2- Avanços Tecnológicos Favoráveis
6 razões para cuidar do Controle Interno da Qualidade: 3- Gerenciamento do Laboratório
6 razões para cuidar do Controle Interno da Qualidade: 4- Ética
6 razões para cuidar do Controle Interno da Qualidade: 5- Acreditação dos Laboratórios
6 razões para cuidar do Controle Interno da Qualidade: 6- RDC 302/2005: O Regulamento dos Laboratórios